SIGA-NOS POR EMAIL:

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

CULTURA MUÇULMANA NA CABEÇA (USO DO VÉU):


” As tuas esposas, as tuas filhas e as mulheres dos crentes, ( quando sairem) se cubram com suas jalabib”

Por Joice Melo

Atualmente no Brasil existem mais 7.239 pessoas seguidoras do Islamismo (segundo dados do censo demográfico de 2000 segundo o IBGE). Estima-se que existam mais de 50 mesquitas e 80 centros Islâmicos espalhados pelo País.

Com todos esses dados, podemos afirmar que existe sim, muitas características do mundo islâmico engajada na cultura brasileira, e que às vezes elas andam tão juntas que podemos confundir a origem de certos costumes.

O samba, por exemplo, que sempre pensávamos ser totalmente brasileiro tem raízes Islâmicas, o instrumento que conhecemos como Pandeiro teve origem do Adufe, com formato hexagonal e sem platinelas, o adufe teria ajudado o samba a chegar à batida rítmica que hoje o caracteriza.

Outro traço da miscigenação de culturas são as comidas, a tradição de comer com abundância e à vontade são trazidas da cultura Islâmica, tanto quanto a utilização de temperos fortes e muitos condimentos e especiarias.

A partir disso, infinitas combinações foram criadas. Os kibes e Esfihas são consumidos por um número incalculável de brasileiros de todas as origens.

As artes em geral também são bastante influenciáveis à nossa cultura, os materiais utilizados são: A cerâmica, o vidro, os tecidos, a ilustração de manuscritos e o artesanato em metal ou madeira têm sido de importância fundamental na cultura islâmica.

Outros objetos cuja produção se destacou durante o período dos califados (do século VII ao XI) são o bronze e a madeira entalhada do Egito, os estuques do Iraque e o marfim entalhado da Espanha.

Mas nosso foco é a moda Islâmica e o quanto ela influência a maneira de se vestir das brasileiras.

Quantas vezes andando nas ruas vemos pessoas usando véus, echarpes, lenços nem sabem sua origem.

O que para nós pode ser “a moda do momento”, para elas, é normal e faz parte do costume.

Existem tecidos, modelos e até o nome dos lenços diferentes, tudo de acordo cm a religião da pessoa.






Os nomes dos véus que existem entre as Islâmicas são: Nikab, Xador e Hijab; Burca para quem não sabe, existem variadas maneiras de serem usados; definidos pelas várias religiões ligadas ao Islamismo.

O uso dos véus seria por causa do cabelo da mulher que pode ser considerado uma arma de atração a um homem, aliás, as únicas partes do corpo que podem mostrar são as mãos e rosto.

”Dizei às fiéis, que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores, e não mostrem os seus atrativos, além dos que normalmente aparecem; que cubram o colo com os seus véus e não mostrem os seus atrativos, a não ser aos seus esposos…que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos.” (24ª Surata, An Nur, versículo 31).

Por isso, aderem à burca, hidjab preso com um coque e usam uma saia na altura do tornozelo.

Ainda existe um pouco de dificuldade de encontrar algumas peças de roupa como burcas, véus, se alguém que tenha interesse em comprar as peças devem ir a lugares específicos, como em São Paulo, que foram criadas duas lojas que são específicas para os tecidos Islâmicos, Ikbal ou Salwa.


Atualmente Falastin Zarruk, lançou uma grife de véus, e ensina muitas mulheres a usá-lo, disse que gosta muito de usá-los e que tinha dificuldade em encontrar em lojas de roupas, ela diz que apesar de não ter nascido no Brasil, e não ter muito contato com a religião se converteu bem depois, mas que isso faz parte de sua vida.



Em muitas de suas viagens e conversas na mesquita (local de oração), resolveu lançar essa grife.

Por conta dessa influência, a moda Mulçumana tem tomado conta das passarelas, mas tudo em conformidade com a fé Islâmico e claro sem deixar de lado o feminino e lado sexy da mulher.

Enfim, o Brasil é um país rico em variadas culturas, ou melhor, tudo que o brasileiro é, faz parte dessa miscigenação, a identidade brasileira é formada por várias outras. Temos um pouco de tudo. Somos diversificados.